Para que serve a preocupação se vamos todos para o desemprego?

Saudações Unicórnios! Já lá vai um tempo não é? A minha criatividade está saturada, não tenho tido boas ideias para postagens, lamento, mas acontece, vocês (que na maioria devem ser blogueiros também) compreendem certo?

Mas o assunto da qual eu vim falar é a escolha dos cursos superiores. Vejo cada vez mais os meus colegas preocupados com a escolha de uma carreira tendo principalmente em conta a empregabilidade, e todos sabemos que em Portugal ela não é muita. Em tempos de crise os estudantes querem optar por escolher algo "seguro", nem que seja para ganhar apenas o essencial para as necessidades básicas.

No entanto da maneira que as coisas estão, seja qual for o curso que tirarmos, estaremos vulneráveis ao desemprego, porque agora há saída para isto, mas no futuro pode não haver, sim, naquele futuro daqui a uns três/cinco aninhos aproximadamente, ninguém sabe o que tem vagas, o que não tem, então a pergunta é: Porque a preocupação?
Eu admito que tenho sido, ao longo destes três anos, uma pessoa que se preocupa, não a cem por cento, mas vá... talvez a cinquenta por cento, com a empregabilidade da área tal. E o que me parecia adequado tendo em conta as minhas capacidades e todos os outros fatores era Ciências da Comunicação, mas quando fui pesquisar mais a fundo, percebi que as disciplinas talvez não fossem muito "o meu estilo", e resolvi pesquisar sobre um curso que até agora achava interessante mas à qual não tinha dado muita relevância, que era Estudos Asiáticos, fui ver o que se podia aprender lá e fiquei bastante interessada, aliás, interessada ao ponto de praticamente mudar de ideias quase à última da hora.

Afinal o curso que eu tinha "tanta certeza" de querer seguir pode não ser o ideal para mim.
Agora há outra questão. Este curso só existe em apenas uma universidade cá em Portugal e no estrangeiro também é muito vago ainda, pois é bastante recente sendo que está direccionado (pelo que eu percebi) para a adaptação à crescente integração dos países asiáticos tanto na economia como nas relações internacionais e num âmbito cultural penso eu (que estaria direccionado para o turismo e outros).
A média é um pouco mais baixa que para Ciências da Comunicação mas tendo em conta que são muito poucas vagas para uma só instituição, bom... espero que não seja muito difícil.

Já viram, mudei de ideias passado três anos, quis um curso durante tanto tempo e agora assim de repente mudei radicalmente de ideias, mesmo no último ano da escolaridade obrigatória, meses antes de me candidatar mudei assim a minha perspectiva. 

Se estou com medo de acabar no desemprego? Acho que todos estamos. Mas se eu era capaz de seguir algo que posso não gostar e acabar por fazer isso para o resto da vida? Nunca.

E não, não é só pelos animes e pelo k-pop, esse curso engloba história (eu AMO história) da Ásia, sobre a qual quase não estudamos na escola obrigatória, e acho ser um curso bastante interessante na qual eu me poderei divertir, também estou curiosa sobre a língua Árabe que é conhecida por ser tão difícil (e parece ser um desafio para mim ;3) e talvez aprenda lá alguma coisa que me faça entender muito do que se tem passado recentemente. Vamos ver!