A Expansão e Influência do K-Pop

Saudações Unicórnios! Hoje decidi fazer uma postagem, meio de reflexão, meio de argumentação. O assunto é a influência e expansão do k-pop, ela é grande ou pequena (à escala mundial)?
Então vamos ter em conta cinco coisas:

  1. A crescente evolução dos meios de comunicação;
  2. A população da Ásia Oriental e emigrantes;
  3. Os treinos antes e após o debut (relacionados com a qualidade das apresentações);
  4. O "sistema de companhias" e o caminho para a fama;
  5. Os padrões estéticos e a vida depois da fama.


Antes de começar quero deixar claro que isto não são factos mas sim a minha simples opinião e raciocínio (vá, uma teoria por assim dizer, apenas recorri a alguns sites como forma de pesquisa para sustentar o meu ponto de vista), podem concordar e discordar à vossa vontade ;3
E preparem-se para o testamento... 
Se algum dos vídeos começar a meio metam no início por favor >.< 


 1. A crescente evolução dos meios de comunicação

Os meios de comunicação têm tido um papel muito importante que tem vindo a aumentar desde o século XX, neste caso não vou entrar em detalhes, sendo que a única coisa que quero realçar e que interessa para o tema desta postagem é a Internet.
A Internet hoje em dia desempenha um enorme papel nas nossas vidas (e eu que o diga), usamo-la para quase tudo: trabalhos, cálculos, pesquisas mas também, e é aqui que eu quero chegar, para comunicar, especialmente para comunicar.
E agora vocês perguntam: "Mas Bea, ainda não falaste do k-pop, o que é que o k-pop tem haver com..." calma, vou já relacionar (até porque eu normalmente gosto de ir direta ao assunto).
Nos últimos seis/sete anos as coisas bizarras, únicas e divertidas têm tido cada vez mais foco na Internet. O que na minha opinião aconteceu com o k-pop foi um choque cultural que acabou por se espalhar por toda a internet obtendo sucesso a nível mundial.
O site que mais teve importância para este fenómeno foi certamente o Youtube que surgiu em 2005, época em que ainda não era muito utilizado. Mas reparemos que em 2009, este site já era famoso na Internet pela sua funcionalidade exclusiva e simples, e o que mais aconteceu em 2009? O debut de diversos grupos que hoje são muito famosos como 2ne1, 4minute, T-ara, f(x), entre outros. (Provavelmente o k-pop já era relativamente famoso antes devido aos debuts de alguns outros grupos em 2007 que hoje são bem famosos como Girls' Generation ou BigBang, mas acho que esta data foi especialmente importante, como se fosse o "boom" do k-pop).
Agora imaginemos um utilizador normal do ocidente que está a navegar pelo site e que de repente se depara com videoclips únicos, com coreografias e visuais elaborados e música maioritariamente electrónica (que na altura não tinha tanta influência como tem agora), obviamente e como podem imaginar tem um choque cultural, e como acha tudo aquilo estranho e extravagante vai enviar o link a um amigo e diz algo do tipo "Olha só estes gajos chineses a cantar e a dançar!" (isto é uma paródia do típico choque cultural, aposto que nem toda a gente diria as coisas assim), e assim começa uma reação em cadeia que viria a originar o sucesso mundial do k-pop.

2. A população da Ásia Oriental e emigrantes

No entanto acredito que esta expansão não se tenha dado exclusivamente graças ao ocidente mas também devido à influência da população da Ásia Oriental (o k-pop também tem influência no sudeste asiático claro, mas aqui só me vou referir à área de influência mais significativa).
Os países onde este estilo musical tem mais influência são provavelmente a China, o Taiwan, e o Japão (não contando com a Coreia do Sul nem com a Coreia do Norte obviamente, e também não contando com outros países asiáticos, porque certamente há mais, como a Tailândia ou a Indonésia).
Acredito que o país que teve um papel mais importante foi a China, que para além de ser o país mais populoso do mundo, também tem imensos emigrantes espalhados pelo mundo ocidental (e oriental mas vou referir-me mais ao ocidental).
Logo o facto de a China ser o país mais populoso do mundo aumenta a influência do k-pop, especialmente quando os artistas decidem fazer carreira lá simultaneamente (e quando inclusive são originários de lá) ou quando os grupos fazem versões das suas músicas em Chinês Mandarim.
Sendo a música coreana relativamente famosa na China, falemos agora no papel dos emigrantes na propagação do k-pop. Quando estas pessoas saem do seu país para um país ocidental por exemplo, elas levam consigo a sua cultura, o que faz surgir bairros chineses como a China Town e os restaurantes e lojas chinesas. E assim levam também a música, mas não só levam a música delas, como também a que é famosa lá, que neste caso pode ser o k-pop.

3. Os treinos antes e após o debut (relacionados com a qualidade das apresentações)

Agora que já escrevi sobre os métodos de propagação, vou falar da qualidade.
Passado aquele choque cultural de que falei anteriormente o público começa a perceber que há um grande empenho por parte dos artistas para dar qualidade às suas apresentações.
Chegamos então à parte em que vou falando um pouco do lado negro do k-pop. Como todos (ou a maioria) dos ouvintes de k-pop sabem, muitos dos artistas que admiramos fazem parte das companhias e treinam desde muito cedo para a "vida de famoso". É um verdadeiro trabalho de construção de pequenas grandes máquinas de fazer dinheiro, aprendem a dançar, a cantar e provavelmente até a agir.
Este vídeo que encontrei no outro dia vai ajudar a explicar a vida destas crianças (sim porque muitos começam quando ainda nem são adolescentes completos) a que chamamos de trainees e as consequências que pode ter (este vídeo também refere outros assuntos dos quais vou falar nos próximos pontos, coloquei-o aqui para fazer uma introdução aos mesmos):


Estes treinos rigorosos e as "filmagens de perfil" de que Stella Kim fala no vídeo acima têm o intuito de fornecer às apresentações das celebridades o máximo de qualidade e coordenação possível (o que também envolve a aparência, que é algo muito importante em indústrias relacionadas com a fama, em qualquer parte do mundo, infelizmente).
Portanto estes treinos, não só envolvem cantar e dançar, mas também o saber conservar e adaptar a aparência de acordo com os seus pontos fortes e fracos (não esquecendo que a mentalidade asiática também tem haver com o assunto, no geral, os asiáticos preocupam-se em trabalhar para o bem comum e consequentemente em dar o melhor de si no que quer que seja que eles façam).


4. O "sistema de companhias" e o caminho para a fama

Como devem saber, o caminho para a fama no k-pop é um pouco diferente do ocidental. Lá na Coreia do Sul existem diversas companhias que fazem audições e recrutam adolescentes ou pré-adolescentes para debutarem anos mais tarde, já treinados e preparados para a fama.
O que seria mais idêntico ao sistema de companhias aqui no ocidente seriam as gravadoras e distribuidoras, mas penso que não há nada que seja comparável.
As três grandes agências de talento sul coreanas são a YG Entertainment, a SM Entertainment e a JYP Entertainment.

5. Os padrões estéticos e a vida depois da fama

Voltemos ao vídeo da Stella Kim. Ela falou de algo que é importante para este ponto, as cirurgias plásticas, que são culturalmente e socialmente bem aceites na Coreia do Sul. A Coreia do Sul na minha opinião é o país asiático mais superficial. Todos (ou quase todos) os vídeos que eu vejo de pessoas a relatarem a sua experiência no país, referem a quantidade de pessoas bonitas que vêem nas ruas. Os padrões estéticos lá e na Ásia em geral consistem em: cara pequena, lábios pequenos não muito finos mas também não muito grossos, nariz pequeno e cana do nariz fina, dupla pálpebra (algo que muitas asiáticas não têm e que de certa forma torna os olhos um pouco maiores e mais redondos) e um queixo fino e um pouco maior (basicamente, os padrões podem ser bem vistos na imagem ao lado). Para terem uma noção, por exemplo, no geral, a mulher coreana tem a cara meio quadrada, e como já disse também não costuma ter a dupla pálpebra, ou seja, os padrões de beleza do país em nada correspondem ao que lhe é natural (e alguns homens também fazem cirurgias plásticas pelo que ouvi, e certamente que eles existem, não são só mulheres).
Segundo o Asian Plastic Surgery, a Coreia do Sul é o país com mais Cirurgias Plásticas Cosméticas per capita, ou seja, lá as pessoas fazem cirurgias plásticas para serem mais bonitas e não porque precisam de uma reconstrução por exemplo (cosméticas portanto). Lá no site podem ver as informações mais completas e os dados estatísticos não só da Coreia do Sul como de outros países asiáticos e do resto do mundo.
A vida depois da fama pode trazer algumas cirurgias plásticas que na maior parte dos casos são notadas pelo público, mas como já é algo que está tão enraizado na cultura do país, não é um escândalo para praticamente ninguém, estes artistas acabam também por influenciar os fãs a fazerem o mesmo de forma a ficar bonitos como eles, e é neste âmbito que eu acho que o k-pop influência nos padrões estéticos.
O que é interessante, é que depois o facto de dois artistas namorarem é um grande escândalo como se namorar fosse crime, muitas fãs ficam doidas com isso ao ponto de colocarem fotos de pulsos cortados no Instagram (sim eu estou a falar sobre o que vi quando se soube que o Kai e a Krystal estavam a namorar).
E para terminar, este vídeo vai ajudar-vos a perceber como é a mentalidade da população sul coreana sobre as cirurgias plásticas e vão ver que o que eu falei é bem generalizado e há opiniões bastante diferentes, esta jornalista perguntou a várias pessoas, de ambos os sexos e diversas faixas etárias a sua opinião sobre as cirurgias plásticas:


E assim acho que a minha teoria sobre o tema (que engloba muitos outros problemas e aspetos culturais da Coreia do Sul) está bem colocada, o que vocês acham, concordam/discordam de alguma coisa? Digam aí nos comentários!

Links usados:


Imagens usadas:

Sem comentários:

Enviar um comentário